terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

So goodnight


Não posso dizer que tenha aprendido grande coisa
nos últimos, digamos, duzentos anos.
Há muitas perguntas que vão perdendo altura
à medida que as penas tombam e também
as garras já não prendem como soíam.
Depois de ter visto de que palha são enchidos
os príncipes felizes, já não saio de casa
sem levar comigo uma carteira de fósforos.
Agora tenho mais tempo morto, só de cinco
em cinco anos compro uma pilha nova
para o relógio. Em vez de cortar os pulsos
cortei a linha do telefone. Já não acordo de noite
para lhe perguntar por que não tocas.
E o que mais me custa, no fim de contas,
é dar razão a Confúcio quando afirma:
quanto mais te ergues para Deus mais ele
de ti se afasta, deixando-te sozinho
a arrumar a casa. Mas estes chineses,
na filosofia moral como no ténis de mesa,
acabam sempre por levar a taça,
e por esta altura da minha queda já concedo
que seja o silêncio a condição natural
para uma ave sem nome que Setembro chamou
e que há duzentos anos não aprende nada.

José Miguel Silva

Imagem de Jose Luis Muñoz

terça-feira, 30 de agosto de 2016

God says yes to me

       CGS, técnicas mistas

I asked God if it was okay to be melodramatic
And she said yes
I asked her if it was okay to be short
And she said it sure is
I asked if I could wear nail polish
Or not wear nail polish
And she said honey
She calls me that sometimes
She said you can do just exactly
What you want to
Thanks God I said
And is it even okay if I don't paragraph
My letters
Sweetcakes God said
Who knows where she picked that up
What I'm telling you is
Yes yes yes.

Kaylin Haught

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

sexta-feira, 18 de março de 2016

O Jardim das Hortênsias


Um pardal pousa.
O Jardim das Hortênsias.
Ao amanhecer, uma pequena tartaruga atravessa lentamente.
Ninguém a vê.
Uma estrela cadente desliza.
No bosque por detrás da cidade,
uma aranha lança o primeiro fio de prata
até ao ramo mais alto.
Em cima dos telhados, por entre as chaminés,
há uma auto-estrada invisível
por onde as andorinhas vão e vêm.
Uma longa caravana de formigas
desliza até ao biscoito caído no pátio.
A Katie lancha no terraço ao sol.
E dizes: estrela marinha.
E as tuas palavras são minúsculas como ninhos de colibri.

Fotografia própria

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Remete-me pacotes de chuva miúda


viste que os dias não passavam
disto, e viste bem. desse lado
do céu, tens o melhor miradouro
sobre a madrugada. se encontrares
o pintainho que sepultámos,
em segredo e lágrimas, no
quintal das tias, pede-lhe o
arco da sua asa nas noites de lua nova.
remete-me, quando puderes,
pacotes de chuva miúda, gosto
de a ver decalcar a terra, fundir-se
com as sementes de milho
no canto da achadinha.


entretanto, vou montando o
telescópio, com as instruções
que me deste. põe-te à vista
e combinamos um gelado a
meio caminho,
à hora da infância.

domingo, 15 de novembro de 2015


Toma o nocturno Atlântico da cor dos olhos de um deus, espalha ilhas pelo deserto a transformar um pesadelo em tempo, junta um dia e muitas horas ao fim do mundo levando o impossível para lá das suas fronteiras e se sobreviveres a esta tragédia talvez conheças a imortalidade em toda a sua dor.


Imagem de Alexander Daniloff

sábado, 31 de janeiro de 2015

It was always you


oh, se pudesses voltar, mostrava-te as sete luas que se vêem
da janela do meu quarto. E os sete sóis, se nele quisesses
passar mais uma noite. Nada disto te revelei antes,
que eram segredos meus - e eu, aos segredos, guardo-os
até ser tarde demais para contá-los.

oh, se pudesses voltar, havia de levar-te a ver o jardim,
por trás da casa, onde há uma nespereira que é só minha
e a cuja sombra podíamos ler no verão, se o verão viesse
e tu quisesses passá-lo só comigo. E também a clarabóia,
no telhado, que tem um vidro a menos por onde, de vez
em quando caem estrelas; e tão pequenas que se perdem nos olhos
de quem se põe assim, a olhá-las sem saber de onde vêm -

dizem que são os anjos que as lançam devagar para aquecer
as noites. Talvez também te mostrasse os anjos se voltasses.

Maria do Rosário Pedreira

Imagem de Laura Pelick